Tag: Moki

Manter a equipe de campo engajada é um desafio para a maioria dos gestores. No entanto, o assunto é algo que requer máxima atenção, pois o nível de engajamento reflete diretamente na qualidade das auditorias. A consequência de um time que não está comprometido com seu trabalho são processos desalinhados que não condizem com a realidade. 

Existem alguns fatores que podem acabar desengajando seus supervisores de campo como, por exemplo: falta do devido acompanhamento do gestor, rotina desorganizada, relutância de aceitar novos modos de trabalhar, ou novas tecnologias e medo de enfrentar a realidade da sua operação. Aqui vamos te contar algumas formas de contornar esses fatores para te ajudar a manter o engajamento da equipe.

1. Organize a rotina da sua equipe.

Organização é uma peça chave. Um colaborador que sai de sua casa já sabendo qual será sua rotina, o que precisa fazer e onde deve ir, corre menos riscos de ser pego de surpresa e, assim, pode planejar seu dia com mais tranquilidade. 

2. Pense estrategicamente a estruturação do seu checklist.

A forma como você estrutura seus checklists afeta a rotina e, portanto, o engajamento da sua equipe. Pense no checklist como algo que seus auditores vão preencher muitas vezes por dia, logo, ele precisa ser fácil de entender, devidamente organizado e com perguntas claras e bem distribuídas. Uma boa dica é estruturá-lo pensando na planta de cada loja, CD, ou unidade a ser auditada. 

Por exemplo, se o seu supermercado no bairro da Zona Norte tem a frente de loja, logo depois a padaria, o hortifrúti e a peixaria, crie o seu checklist nessa ordem; mas se a sua unidade no bairro da Zona Sul é distribuída em frente de loja, hortifrúti, peixaria e por último a padaria, inverta as seções do checklist para adequá-lo à planta dessa unidade. Assim o preenchimento se torna muito mais fácil e ágil, seguindo uma sequência lógica de perguntas que seguem o caminho natural do auditor pela loja.

Além disso, busque sempre maneiras de deixar suas avaliações mais interativas e divertidas de se preencher. Uma maneira simples de fazer isso é usar emojis nas suas respostas. Imagine a pergunta “a fachada da loja está acesa”, em vez de “sim”, “não” e “não aplicável”, porque não usar “😀”, “🙁” e “não aplicável”?

3. Faça sua equipe entender os benefícios que acompanham cada mudança.

Apresentar resistência a novas tecnologias, novos processos e novas rotinas é comum. O “novo” geralmente vem acompanhado de certa dose de insegurança. Por isso, deixe claro para o seu time quais os benefícios que eles irão usufruir em função das novidades. Rotinas mais simples, processos mais ágeis, relatórios automáticos, sem retrabalho e sem perda de tempo. Mostre para a sua equipe que todos têm muito mais a ganhar que a perder, assim a tendência que é que eles estejam mais abertos às transformações.

4. Deixe claro: checklist não é espionagem! 

Conhecer a realidade da sua operação é, talvez, um dos maiores benefícios da aplicação de checklists, mas também pode ser um pouco intimidador. Em alguns casos, é comum que alguns colaboradores resistam a se comprometerem com rotinas de supervisão, pois sabem que existem não conformidades nos seus locais de trabalho e temem que isso possa gerar uma reputação ruim para si próprios. 

Agora sejamos sinceros, todas as operações possuem não conformidades e pontos a serem trabalhados, sem exceção. Quando falamos de melhoria contínua, partimos do princípio de que sempre haverá algo para melhorar. Logo, não tenha medo da verdade, queira conhecê-la, esse é o primeiro passo para uma operação de excelência.

 Além disso, o seu gestor certamente tem noção da situação real do seu trabalho e da sua loja. Tentar fazer com que seus checklists atinjam notas muito altas – ainda que para isso você fuja da realidade – pode gerar mais desconfiança do que reconhecimento e isso, definitivamente, vai abalar sua reputação.

Difunda valores como transparência e sempre saliente que mais vale uma nota não tão alta, porém realista, seguida de uma postura de correção de problemas do que uma nota alta inventada, que não traz nenhuma transformação positiva para a empresa.

5. Faça-os ver a consequência do seu trabalho: dê feedbacks!

Um dos piores cenários possíveis para uma equipe de supervisão de campo é passar a fazer o trabalho apenas por fazer. Posturas assim, são oriundas da percepção de que seu trabalho não gera consequências, ou seja, não gera resultado. 

Por isso a importância dos feedbacks. Eles estimulam pessoas a refletirem sobre o próprio trabalho e fazem com que cada um entenda que faz parte de um todo e enxerguem o seu real impacto no produto final. Adotar uma cultura de feedbacks, independente se negativos ou positivos, faz com que todos se sintam importantes e necessários.

6. Adote programas de excelência.

O programa de excelência é um método muito popular em empresas que desejam manter suas equipes motivadas, pois gera uma competição saudável entre setores, salienta o compartilhamento de informações entre colaboradores e engaja todos na missão de buscarem melhores resultados. Pode ser que valha a tentativa, não é mesmo?

Essas são algumas das dicas que damos para nossos clientes que estão na luta para manter seus times engajados. Esperamos que possa ajudar a sua equipe também. Lembre-se quanto mais comprometido com o processo estiver o seu colaborador, melhores os seus resultados.

Moki Software Checklist Eletrônico | Trade Marketing | KPI
ENDEREÇO

Rua Voluntários da Pátria, 286/302
Botafogo | Rio de Janeiro | RJ
CEP: 22270-014 | Brasil

TELEFONES

+55 (21) 2527-0482
falecom@moki.com.br
suporte@moki.com.br
Whatsapp

MEMBRO
PARCEIRO
Instituto da criança
MAPA DO SITE

CallNet Serviços de Informática e Internet Ltda | Copyright 2007-2020

CallNet Serviços de Informática e Internet Ltda
Copyright 2007-2020