Moki Checklist

metodologia ágil

Metodologia ágil: o que é, como surgiu e como aplicar

A metodologia ágil, ou ainda, metodologia Agile, é um método de gerenciamento de projetos inovador que envolve a colaboração contínua do cliente ou dos stakeholders, subdividindo cada projeto em várias etapas curtas, promovendo a melhoria permanente a cada estágio alcançado.

Ela se baseia em princípios como a interatividade e comunicação constantes entre a equipe e o destinatário final daquele produto/serviço, adaptabilidade, colaboração, entregas rápidas e funcionalidade. E o que isso significa na prática?

Na prática, a metodologia Agile serve para equipes que desejam trabalhar com entregas frequentes, em curto espaço de tempo, onde é possível obter feedbacks e adaptar as etapas seguintes de um projeto. Exige flexibilidade e praticidade.

Empresas de desenvolvimento de softwares (ambiente onde a metodologia nasceu) utilizam amplamente o conceito ágil, mas também outras áreas tão diversas como marketing, finanças, vendas, dentre outras, reconhecem seus pontos fortes e o adotam. 

Um software de gestão como o Moki, totalmente digital e construído para automatizar, agilizar e controlar processos, promovendo melhorias contínuas em cada etapa de um projeto, pode ser a ferramenta que sua empresa precisava para implementar a metodologia ágil.

Continue a leitura para entender um pouco mais como o Moki e a metodologia que promove maior interação e entrega podem transformar seus negócios para melhor.

O que é metodologia ágil? 

Trata-se de uma ferramenta de gestão adaptada a uma realidade instável, uma sociedade veloz, que exige criatividade e menos rigidez para encontrar respostas a problemas ou demandas que surgem ao longo de um projeto.

No ano de 2001, um grupo de desenvolvedores de renome juntou-se, nos Estados Unidos, e assinou o que ficou conhecido como “Manifesto para o Desenvolvimento Ágil de Software”. Foi através deste documento que os doze princípios da metodologia ágil foram criados.

Eles deram o pontapé para uma ferramenta que, em essência:

  1. Valoriza indivíduos e interações mais que processos e ferramentas;
  2. Dá preferência ao software em funcionamento em detrimento de uma documentação abrangente;
  3. Trabalha pela colaboração com o cliente mais do que com o excesso de negociação de contratos; e
  4. Responde a mudanças com mais facilidade do que segue planos.

Ao longo dos anos, vimos a área de desenvolvimento de software partir de uma lógica linear e sequencial de condução de projetos (chamado de método waterfall ou cascata) para a adoção de métodos e ferramentas incrementais, de melhoria contínua.

O resultado? A metodologia ágil ganhou espaço em outros setores, tornando-se a queridinha de uma era em que se propaga a ideia de que “a única certeza que temos é sobre a incerteza de nosso tempo”. 

Uma ferramenta, portanto, que responde bem à aceleração da era digital e busca soluções on-demand. Conforme dados da pesquisa 15th Annual State of Agile Report, publicada em 2021, esse é o ranking dos setores internos das organizações pesquisadas que aderiram à metodologia:

setores metodologia ágil

Qual a diferença entre metodologia ágil e a tradicional? 

Na metodologia tradicional de gerenciamento de projetos para desenvolvimento de software (waterfall), o que se vê, usualmente, é a definição do escopo de todo o trabalho a ser feito e uma preocupação em detalhar, logo no início, todas as etapas que virão a seguir.

É possível ter uma visão ampla do projeto que será conduzido. No entanto, muitos criticam essa gestão tradicional por ser pouco flexível e muito demorada. Qualquer mudança de cenário, de expectativa ou de resultado esperado pode impactar negativamente.

Portanto, na metodologia em “cascata”, entrega-se um produto enorme, trabalhoso e denso, que demanda bastante tempo e recursos, e que atende aos requisitos do cliente de forma parcial ou insatisfatória, pois essas exigências podem ir mudando ao longo do processo.

Já a metodologia ágil, por basear-se na colaboração do cliente ao longo de todo o projeto, promove interações e feedbacks, sendo possível (e desejável) fazer mudanças enquanto o plano é posto em ação.  

Dentre as principais razões apontadas para a adoção da metodologia ágil nas equipes, a pesquisa  15th Annual State of Agile Report apontou: ampliar a capacidade de gerenciar mudança de prioridades e acelerar a entrega (64%), aumento na produtividade da equipe e alinhamento entre TI e negócios (47%).

Uso da metodologia na automação de processos 

A metodologia ágil pode ser utilizada para a automação de processos dentro das empresas. Primeiro, o projeto será subdividido em vários ciclos ágeis (mini-projetos) – eles devem ser ciclos curtos e simultâneos, objetivando entregas constantes.

Ao final de cada ciclo ágil, serão feitas entregas e melhorias com base nos feedbacks recebidos. Cada mini-projeto pode ter uma duração de 1 a 4 semanas, ao final das quais, deve haver a entrega ao cliente. 

Em seguida, a interação/comunicação com o cliente gera uma série de inputs para recomeçar o processo nos próximos ciclos. Dessa vez, com possíveis novos requisitos comerciais exigidos pelo cliente que já viu parte do projeto em funcionamento e pôde avaliá-lo.

E como a metodologia pode ajudar na automação de processos? Com um software que possibilite a criação de checklists, como o Moki, é possível supervisionar esses ciclos curtos de forma simples, criar planos de ação e construir indicadores que vão ajudar em sua otimização.

Quais as principais metodologias ágeis? 

principais metodologias ágil

A expressão Agile tem, em si, um guarda-chuvas de conceitos, metodologias e processos que representam, sobretudo, a intenção de reduzir o tempo de resposta de uma equipe às necessidades do cliente utilizando uma intensa interatividade e várias entregas rápidas.

Com o passar dos anos, alguns desses métodos ágeis ou “frameworks” que surgiram ficaram famosos e foram amplamente utilizados, como o Scrum, o Kanban, dentre outros. 

Além disso, a metodologia ultrapassou as fronteiras do desenvolvimento de software, de modo que hoje podemos falar em uma metodologia de gestão ágil, aplicada a vários setores dentro de uma empresa.

Veremos agora alguns dos “frameworks” ou metodologias ágeis que são amplamente utilizadas pelo mercado.

Scrum 

Trata-se de um framework simples que se baseia em ciclos sucessivos conhecidos como “sprints”. Ele é o método ágil mais utilizado no mundo. 

Baseado em um processo de desenvolvimento interativo e incremental, o Scrum utiliza ciclos de, no máximo, 4 semanas para que uma equipe enxuta desenvolva um conjunto de funcionalidades de determinado software.

Vários “sprints” podem ser desenvolvidos simultaneamente e combinados para produzir um Lançamento, que é quando o cliente tem acesso a uma entrega. O longo processo de desenvolvimento é assim quebrado em várias pequenas etapas.

Todos esses ciclos e entregas rápidas permitem que o cliente analise com mais frequência o software entregue e verifique, antes da entrega total do projeto, se ele atende aos seus requisitos comerciais.

O Scrum tem algumas características típicas, como reuniões diárias da equipe com duração de 15 minutos que visam alinhar o que foi feito até então com as atividades que devem ser conduzidas naquele dia.

O método permite que toda a equipe acompanhe o que cada membro está fazendo dentro do projeto e facilita a reorganização de prioridades.  

Lean 

A metodologia Lean Manufacturing foi criada nos anos 80, na montadora japonesa Toyota, e visa o ganho de eficiência, redução de custos, aumento de produtividade e foco na experiência do cliente. 

É conhecida por ser uma “metodologia enxuta”, utilizando apenas o estritamente necessário em seus processos. Considerada também uma das metodologias ágeis do mercado, a Lean elimina tarefas, processos e funcionalidades que não agregam valor ao cliente.

Uma das vertentes do Lean é o Programa 5S, que trabalha com 5 pilares: utilização, organização, limpeza, padronização e disciplina. A metodologia Lean pode ser combinada com outras ferramentas ágeis, onde tarefas rotineiras ganham maior agilidade e produtividade.

DSDM 

O DSDM (Desenvolvimento de Sistemas Dinâmicos) foi desenvolvido para uso em projetos com prazos e orçamento apertados. Utiliza conceitos-chave das metodologias ágeis, como desenvolvimento incremental e colaboração entre cliente e equipe.

O método tem um ciclo de vida com cinco fases: estudo de viabilidade (aqui avalia-se a viabilidade técnica do projeto), estudo de negócios (estudo global do sistema desejado), interação de modelos funcionais (construção de protótipos incrementais que demonstram a funcionalidade para o cliente), interação de projeto e desenvolvimento (verificação da adequação ao ambiente operacional) e implementação.  

Quer receber conteúdos como este por e-mail?

Assine nossa newsletter!

FDD 

A metodologia FDD (Feature Driven Development) adequa-se melhor a equipes maiores e suas interações são bastante curtas – no geral, o produto é entregue em duas semanas. Isso só é possível porque a FDD utiliza um número maior de equipes com muitas pessoas.

Possui cinco etapas: desenvolvimento do modelo geral, listagem de features (recursos), planejamento por features, design por features e construção por features.

Trata-se de uma metodologia adaptável, podendo, inclusive, ser utilizada com o Scrum. Como o FDD está voltado às características do produto, sua contribuição para o escopo definido pode ser extremamente relevante na entrega final ao cliente.

ASD 

O ASD (Desenvolvimento de Software Adaptativo) é um modelo focado na auto-organização da equipe, com atuação na resolução de problemas de sistemas complexos, ou seja, em grande projetos de desenvolvimento. 

O método está voltado ao desenvolvimento dos componentes e usa bastante a prototipação. Um projeto ASD possui três fases: especulação, colaboração e aprendizado, provocando uma melhoria contínua dos processos. 

Kanban 

Criado em 1960, na Toyota, o método Kanban utilizava, originalmente, um quadro branco dividido em colunas onde são explicitadas as etapas de uma produção. 

Cada coluna é preenchida com cartões coloridos que representam as tarefas que devem ser executadas, organizadas por prioridade.

Por ser prático e adaptável, o método Kanban pode ser utilizado mesmo por equipes que já utilizam outras metodologias, como o Scrum. O fluxo de trabalho é todo mapeado e facilmente visualizado por toda a equipe.

Trata-se de mais uma ferramenta derivada do pensamento Lean de metodologia enxuta, que alimentou o Sistema Toyota de Produção. 

Como funciona a metodologia ágil nas empresas? 

A metodologia ágil atua, basicamente, automatizando tarefas dentro de uma empresa, ampliando, portanto, o número de atividades que podem fazer parte de um ciclo ágil.

Quanto maior o número de atividades automatizadas dentro de um ciclo ágil, mais rapidamente a equipe será capaz de entregar mini-projetos ao cliente, obtendo seu feedback e pondo em ação mais ciclos ágeis com mais atividades automatizadas.

Basicamente, dentro de um ciclo ágil, todos sabem o que fazer, como fazer e em quanto tempo fazer para atender a uma pequena entrega rápida ao cliente que faz parte de um projeto maior, dividido em várias etapas. 

Como a Moki aplica a metodologia ágil? 

metodologia ágil Moki

Imagine um ciclo ágil para a entrega rápida de um mini-projeto que tenha cinco etapas. Quais dentre essas cinco etapas um software de gestão pode automatizar e fazer entregas ainda mais rápidas e confiáveis para seus clientes? 

Essas tarefas dentro de um ciclo ágil podem fazer parte de um checklist automatizado, produzido por um software como o Moki, onde relatórios confiáveis são gerados a partir de KPIs bem definidos.

Veja a seguir as áreas em que o Moki pode automatizar processos e ampliar o número de entregas rápidas ao seu cliente.

Na indústria

No setor industrial, o Moki pode, por exemplo, ajudar na implementação da metodologia ágil para gerenciamento de riscos, cruzando checklists com os resultados encontrados. 

Nada de papéis e planilhas impressas, o software mantém todas as informações relevantes em nuvem, facilitando o cruzamento de dados e o levantamento de informações relevantes para os negócios.

No varejo 

O varejo tem algumas características peculiares: muitas unidades, dispersão geográfica e um custo de visita elevado, daí por que um software como o Moki pode ser um grande diferencial, controlando a programação da rotina e o gerenciamento de estoques, por exemplo.

Nos supermercados

O uso do Moki em Centros de Distribuição de operações atacadistas de supermercados é comprovadamente eficaz. Ele otimiza o acompanhamento dos processos de armazenamento, logística, controles regulatórios e de manutenção preventiva.

No agronegócio 

Os checklists garantem que todas as normas de segurança de alimentos e do trabalho estejam sendo seguidas, além de manter o cuidado com produtos perecíveis e gerar ações corretivas em pouco tempo no setor de agronegócio.

Na moda 

O Moki garante a padronização do Visual Merchandising, cria checklists dando pesos diferentes às perguntas para avaliar a performance das lojas, cria rankings para premiar os melhores em vendas, além de facilitar o controle de preços e estoques através de smartphones.

Em franquias 

Nas franquias: programe rotinas, planos de ação, treinamentos e visitas rotineiras através do Moki. Além disso, com esse software de gestão é possível, através de checklists e relatórios atualizados, descobrir o motivo pelos quais determinadas lojas não têm um bom rendimento.

Para prestadores de serviços

Prestadores de serviço atendem mais clientes com uma equipe menor ao digitalizar o processo de coleta de dados, programar a rotina de colaboradores, traçar planos de ação e programar visitas – tudo isso em tempo real, com a possibilidade de contribuição de toda a equipe pelo celular.

Ilustração de um computador e de um celular em suas respectivas telas de checklist.

Quer entender como o Moki funciona? Entre em contato e solicite uma demonstração!

Conclusão

O Moki Checklist vai ajudá-lo a implementar a metodologia ágil em sua empresa automatizando processos, digitalizando a coleta de dados e a geração de informações, ampliando sua capacidade de controle através de checklists e relatórios confiáveis.

A colaboração contínua entre cliente e equipe de trabalho, típica da interatividade exigida pela metodologia ágil, alcança um patamar mais elevado quando o ciclo ágil ganha mais automação e confiança em seus resultados.

Faça entregas rápidas com mais confiança e agilidade através de um processo seguro, automatizado e digitalizado de planejamento, execução e avaliação. 

Para tanto, a combinação de tecnologia de software de gestão e a metodologia mais praticada no mundo dos negócios pode gerar os resultados que você tanto almejava para seus negócios.

Gostou do post? Compartilhe!

0 0 votes
Article Rating
Inscreva-se
Notificar quando houver
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Pesquisar

Receba nossos conteúdos!

Receba nossos conteúdos!

Posts mais populares
Ninja faixa preta dando um chute no ar

Será que você tem uma operação faixa preta?

Faça um diagnóstico de maturidade gratuito e receba dicas para se tornar um ninja em seu negócio!

Siga nossas redes
Saiba mais
Rolar para cima