Moki Checklist

Como é feita a inspeção de segurança?

Inspeção de Segurança: veja os tipos e aprenda como fazer!

Inspeção de segurança é um conjunto de procedimentos adotado pelas organizações com o objetivo de detectar situações de risco no ambiente de trabalho, permitindo a atuação preventiva na correção dos eventos identificados.

Portanto, detectar esses fatores de risco possibilita que a empresa adote as medidas necessárias para eliminar ou, ao menos, reduzir eventualidades que coloquem em risco a integridade física dos funcionários, evitando acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.

Este tipo de inspeção atende também outra demanda essencial nas empresas: garantir o cumprimento de sua  política de segurança em conformidade com a legislação trabalhista. Estar “em dia” com esses protocolos evita dores de cabeça no futuro.

Trata-se, portanto, de antecipar situações que podem ocasionar prejuízo aos trabalhadores e a empresa de uma maneira geral. Já diz o ditado popular: “É melhor prevenir do que remediar”!

Quem realiza a inspeção de segurança?

 

Quem faz a inspeção de segurança?

Quem realiza a inspeção de segurança em geral são profissionais ligados à área de Segurança do Trabalho e Saúde Ocupacional, sejam eles internos ou externos, contratados para esta finalidade.

Esses profissionais têm a missão de investigar todos os setores da organização e identificar os riscos de segurança que podem afetar os trabalhadores e a empresa como um todo.

São responsáveis também por sugerir medidas de proteção e segurança a partir dos riscos detectados. Saiba mais sobre a profissão de Técnico de Segurança do Trabalho e como esse profissional pode ser útil nessa área:

Vale ressaltar que na falta de profissionais especializados, a inspeção deverá ser realizada pelos membros eleitos da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA).

Qual a importância das inspeções de segurança?

A inspeção de segurança é uma etapa fundamental no tratamento dos riscos existentes no ambiente de trabalho. É nessa fase que são realizadas a detecção e a análise destes riscos.

Sem essa etapa seria impossível definir quais medidas de prevenção devem ser tomadas pela empresa, uma vez que a tomada de decisão é baseada nos dados colhidos na fase de inspeção.

Proteger a estrutura da empresa, o meio ambiente e garantir a integridade física dos trabalhadores é necessário não só para cumprir medidas legais, mas também para promover uma maior integração da equipe.

Funcionários que se sentem seguros contribuem mais e melhor para o andamento das atividades e isso se reflete na produção. A empresa que não investe em segurança do trabalho perde em qualidade e eficiência da sua equipe.

Os 7 tipos de inspeção de segurança

 

Quais são os tipos de inspeções de segurança?

1. Inspeção de Rotina

São aquelas realizadas com maior frequência, de preferência diariamente. Servem para detectar problemas do cotidiano como equipamentos que não funcionam corretamente, uso inadequado de EPIs, procedimentos realizados fora do padrão, etc.

Costuma ser realizada por funcionários ligados à área de segurança do trabalho e por membros da CIPA.

2. Inspeção Periódica

Como o nome já indica, são realizadas dentro de um determinado período e servem para detectar má condição dos equipamentos: desgaste, depreciação, etc.

O processo de inspeção periódica é, também, indispensável nos planos de manutenção preventiva, muito aplicados em operações industriais para resguardar o desempenho e segurança das máquinas e equipamentos.

Algumas inspeções são determinadas por lei como, por exemplo, as realizadas nos equipamentos considerados perigosos e as que incluem a verificação de itens fundamentais, como extintores.

3. Inspeção Eventual

São realizadas a partir de algum evento que surge de forma muito específica, ao contrário das inspeções de rotina. Por isso, não tem data e nem local predeterminados. 

4. Inspeção Especial

São inspeções mais técnicas e minuciosas. Servem para detectar riscos em que há necessidade de profissionais especializados e equipamentos específicos.

5. Inspeção Geral

São aquelas que envolvem todos os setores da organização. Participam desta verificação: 

  • Técnicos de segurança do trabalho;
  • Médicos;
  • Engenheiros;
  • Assistentes sociais
  • Membros da CIPA;
  • Funcionários em geral. 

Esse tipo de inspeção possui periodicidade regular e na falta de profissionais especializados deverá ser realizada pelos membros da CIPA.

6. Inspeção Parcial

São realizadas somente em alguns setores e para algumas atividades específicas que já apresentam problemas. Deve ser feita uma análise mais focada e minuciosa dessas situações de risco.

7. Inspeção Oficial

São, necessariamente, realizadas por órgãos externos, sejam públicos (oficiais) como o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), ou privados, como agências de seguro.

As inspeções do MTE costumam acontecer para fins de verificação da conformidade com a legislação trabalhista. Nesse caso, a empresa precisa estar “em dia” com a sua política de segurança.

Como fazer uma inspeção de segurança?

Antes de iniciar qualquer inspeção de segurança é necessário ter um planejamento claro contendo cronograma e delegação de funções, já que todos os funcionários da empresa podem contribuir para a detecção de situações de risco.

Não existe um modelo único de como fazer uma inspeção. O ideal é avaliar e definir durante a fase de planejamento qual seria a melhor metodologia e quais tecnologias poderiam auxiliar no processo como, por exemplo, os checklists digitais.

No entanto, algumas etapas são fundamentais:

  1. Identificar situações de risco de acordo com o contexto de cada área da organização;
  2. Investigar quais práticas e procedimentos permitiram que essas situações ocorressem;
  3. Listar equipamentos e projeções de danos (depreciação);
  4. Listar quais acidentes ou doenças podem ser provocados por essas situações de risco;
  5. Sugerir mudanças e medidas preventivas.

Checklist como ferramenta na inspeção de segurança

Pode-se dizer que o Checklist (ou lista de verificações) é um roteiro contendo os detalhes de todas as etapas de um determinado trabalho a ser realizado. 

Os checklists se configuram hoje no mercado como ferramentas primordiais para uma boa condução da inspeção de segurança no trabalho. 

Como funciona?

Cada etapa é dimensionada de acordo com as ações a serem realizadas. Essas ações são detalhadas e atribuídas a responsáveis que recebem instruções e notificações de prazos ao longo do processo.

Ao fim de cada etapa os responsáveis indicam que a mesma foi finalizada e o sistema aciona as próximas etapas e seus responsáveis.

Dessa forma, todos os envolvidos no processo conseguem visualizar como o projeto está andando, quais são suas atribuições e quais etapas ainda faltam ser cumpridas.

Veja o nosso modelo de checklist para inspeção de segurança do trabalho.

Por fim, considere o uso de um software de gestão e garanta o controle da operação

Como vimos, a inspeção de segurança é fundamental para garantir um ambiente de trabalho seguro e confiável, assim como para manter a empresa em dia com as suas obrigações trabalhistas.

São muitas as situações de risco que surgem no decorrer de processos administrativos, uso de equipamentos e realização das atividades. Por isso, se faz necessário o controle desses processos para que seja possível se antecipar e evitar acidentes.

A tecnologia pode auxiliar muito nesse controle, otimizando os processos necessários. Softwares que oferecem checklists digitais, relatórios e possibilidade de criação de planos de ação se apresentam como ferramentas fundamentais para obter uma gestão de sucesso.

Notebook com Dashboard do Moki em espanhol

Conheça a Moki Checklist e tenha total controle dos processos de segurança!

0 0 votes
Article Rating
Inscreva-se
Notificar quando houver
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
0
Queremos muito saber o que achou, comente aqui!x
()
x
Rolar para cima