Moki Checklist

saiba como desenvolver uma cultura de dados em seu negócio

Cultura de Dados: como implementar a Gestão por Dados?

Na era digital, a gestão orientada por dados (data driven) é o diferencial para a vantagem competitiva das empresas.

Saem de campo os achismos e o “sempre foi assim” e entra a inteligência de dados: diagnóstico e análise estratégica das informações geradas pelo próprio negócio.

Assim, para implementar uma Gestão por Dados o primeiro passo é gerar um ambiente favorável à documentação de informações e à análise estratégica, aberto a mudanças e riscos.

Apenas a coleta de dados não gera transformação, nem traz valor para o negócio.

O diferencial da cultura de dados está na análise, na capacidade de cruzar informações e ter insights relevantes, alinhados ao objetivo estratégico, realizando rapidamente as mudanças necessárias a partir dessas análises. 

Nesse artigo você encontrará dicas para adotar uma cultura data driven, gerindo processos com eficiência, reduzindo custos e perdas e aumentando a vantagem competitiva, a partir da análise crítica de seus dados.

Cultura de dados: o que significa?

A cultura de dados é a habilidade de transformar os dados gerados constantemente na rotina da operação em informações que trazem valor para o negócio, através de insights e estratégias efetivas de atuação. 

Quando sua empresa vende um produto, por exemplo, uma série de eventos acontece.

Se esses eventos são documentados e analisados apropriadamente, podem refinar a operação, trazendo economia, aumentando a produtividade e tornando as atividades mais ágeis e eficientes. 

Apesar da relevância estratégica da cultura de dados, muitas empresas não costumam documentar os dados gerados.

Já outras registram tudo, mas não analisam corretamente com foco em transformá-los em valor para o negócio.

Há ainda, as empresas que chegam a diagnosticar possibilidades transformadoras para o negócio, mas não conseguem colocar as ações em prática com agilidade e eficiência.

Assim, implementar a cultura de dados em uma empresa não se limita a contratar um gerente, uma ferramenta, ou os dois. Ela deve ser uma mudança sistêmica e precisa começar hoje para garantir a vantagem competitiva de sua empresa no cenário atual.  

Quais são os benefícios de uma boa gestão de dados?

Vantagens da gestão orientada a dados

Transformação cultural

A boa gestão de dados começa pela disseminação da cultura de dados para toda a equipe, fazendo com que os colaboradores adotem uma ação mais crítica, ativa e alinhada com o objetivo estratégico da empresa. 

Nesse sentido, cada colaborador na sua área de atuação passa a entender como seu trabalho impacta as necessidades do cliente final e o objetivo do negócio, catalisando seus esforços para a postura orientada a resultados e aberta a mudanças, que a cultura data driven demanda.  

Domínio do negócio

A cultura de dados proporciona um melhor conhecimento do negócio, suas possíveis ameaças e dos melhores caminhos a serem seguidos. 

A análise de dados pode, por exemplo, ajudar a conhecer e prever o ciclo de vida de suas linhas de produto, identificando os produtos promissores, os que geram valor e os que estão em queda, por exemplo.

Pode também revelar sazonalidades do negócio, para que você direcione de maneira inteligente os investimentos na produção e nas estratégias de venda.

Outro aspecto relevante para o negócio trazido pela cultura de dados é o refinamento das relações com os clientes. Uma análise dos históricos de compras, por exemplo, pode revelar informações valiosas para potencializar o resultado do negócio.  

Gestão de processos mais eficiente

Com a tecnologia adequada de coleta de dados, a empresa pode ter em mãos informações valiosas para otimizar a gestão de operações: como descobrir atividades redundantes, falhas recorrentes, excesso de controles, lentidão de execução e muito mais. 

Dependendo da ferramenta adotada, é possível disparar ações a partir da análise de performance de dados e agir instantaneamente em falhas na operação.

Redução de custos

Outro benefício trazido pela cultura de dados é a análise de cenários, que permite a otimização dos gastos como, por exemplo, na compra de insumos.

Além disso, propicia melhores negociações com fornecedores; revela sobreposição de atividades para otimizações no quadro de funcionários e muito mais. 

Prevenção de perdas

Também pela análise de dados da operação é possível prevenir perdas, já que são evidenciados erros de processo e execução que podem ser corrigidos de maneira imediata.

Elementos essenciais em uma cultura data-driven

Estudos já comprovaram que o sucesso da implementação de uma cultura data-driven nas empresas está extremamente relacionado com o senso de propósito dessa cultura para as pessoas. Ou seja, os dados trabalham para as pessoas, e não o contrário.

É importante fazer com que a equipe veja valor nas informações trazidas pela tecnologia. Assim, cabe aos gestores analisar e promover esses benefícios de maneira efetiva. A comunicação nesse sentido é essencial.

Divulgar para todas as áreas as contribuições dos dados faz com que a atividade deixe de ser vista como sobrecarga e controle, e assuma seu lugar de colaboradora indispensável para a vantagem competitiva do negócio.

E como mudança de cultura, ela deve permear todas as áreas da empresa, sem data para acabar.

É uma mudança de atitude constante, que apura o senso crítico da equipe, alinhando os colaboradores com o objetivo estratégico e com a ação rápida, focada na tomada assertiva de decisão. Para isso é fundamental:

Leia também:

+ Como implementar um plano eficiente de Gestão de Mudanças!

+ Sistema de Gestão Integrada (SGI): o que é e como implantar

+ Guia prático do BPM: saiba como aplicar e otimizar processos!

1 – Ter objetivo claro;

A coleta de dados deve partir de objetivos claros, alinhados à estratégia da empresa. A coleta e análise de informações desnecessárias e irrelevantes, além de gerar desperdício de tempo, pode direcionar os esforços de produção para o lugar errado.

Assim, o importante não é o volume de dados coletados e sim o alinhamento da análise de acordo com a hierarquia de problemas e objetivos de seu negócio. 

2 – Ser acessível para todos;

Sabe a tabela do campeonato de futebol? O que você quer para a sua empresa é ter indicadores que todos acompanhem com um misto de ânimo e ansiedade.

Dados transversais que afetem o resultado de todas as áreas da empresa e que instiguem na equipe o interesse e apreço pela cultura de dados.

Algumas companhias têm e-mails periódicos informando rankings de venda, índices de conversão, ou qualquer outro dado que sinalize o desempenho do negócio e o impacto do trabalho da equipe para esse resultado. 

Esse é o primeiro passo para educar o interesse por dados, mas uma ferramenta de tecnologia eficaz pode fazer ainda mais, sendo um painel onde todos podem acessar os dados com facilidade, participar e acompanhar o resultado da empresa. 

3 – Estar disposto a assumir riscos;

A qualidade da análise de dados vem com a disposição do negócio a riscos. Isso acontece porque o bom estudo dos dados da empresa traz insights criativos acompanhados da possibilidade de mudança.

Na verdade, o maior desafio da gestão na cultura de dados é saber quais riscos assumir, já que as mudanças com maior potencial de impacto no resultado podem trazer riscos.

O importante na cultura de dados é estar aberto. Experimentar e criar com agilidade e eficiência, tendo conhecimento dos riscos envolvidos para prevenir possíveis problemas.

4 – Ter catalisadores na equipe;

Para a cultura de dados dar certo é essencial uma pessoa, ou pessoas, façam essa ponte entre a análise de dados e a operação.

Essa também pode ser uma atribuição dos gerentes de área, que fazem a ligação entre os objetivos estratégicos da alta gestão e a operação. Mas cuidado com a sobrecarga de trabalho!

O importante é que os catalisadores sejam os donos da cultura de dados, analisando as possibilidades e promovendo seus benefícios para toda a equipe.

Aplicações da análise de dados nos processos de decisão e gestão

cultura data driven aplicada a gestão empresarial

A estratégia de dados é a melhor aliada da gestão contemporânea.

Ela permite que os gestores obtenham melhores resultados, sem necessariamente ter que trabalhar mais, já que as informações reunidas potencializam diversos aspectos da operação e sua gestão.

Com a ajuda de um software de coleta e análise de dados, os gestores podem otimizar processos, trabalhar com mais assertividade e acompanhar a operação de perto, fazendo ajustes e definindo novas estratégias sempre que for preciso. 

Além disso, com os dados dos sistemas, os feedbacks para a equipe passam a ser objetivos e baseados em dados. 

Outro aspecto relevante da cultura de dados é sua contribuição para o processo decisório dos gestores. Com a possibilidade de acompanhar indicadores objetivos, os gestores podem tomar decisões embasadas e assertivas.

No entanto, para fazer o melhor uso da tecnologia é fundamental que o gestor escolha onde focar seus esforços, evitando ser soterrado pelo enorme volume de dados disponibilizado pelas ferramentas.


Como implementar uma cultura orientada a dados? 4 dicas eficazes

1 – Foque no essencial;

Com a possibilidade de analisar tudo, muitos gestores acabam se perdendo. O segredo é focar no essencial, nas informações-chave para o seu negócio.

Faça o caminho inverso. Olhe o objetivo final da sua empresa e as áreas que trarão possivelmente mais retorno. São essas áreas que você quer conhecer de perto e acompanhar.

2 – Transforme a cultura;

O principal é mudar a cultura da empresa para uma ação orientada por dados. Então, escolha os indicadores de maior impacto e adesão pela equipe.

Divulgue esses indicadores, faça cruzamentos, mostre as relações dos dados com o dia a dia da operação. Quando todos enxergarem o propósito dos indicadores e seus benefícios, a nova cultura atravessará a empresa.

3 – Estabeleça rotinas de acompanhamento;

Acompanhe a evolução dos indicadores periodicamente. Cada indicador ganha relevância em um período de tempo.

Observe esses períodos e defina sua rotina de acompanhamento (semanal, mensal, trimestral). Isso é gestão. Consultar os indicadores antes de seu período de relevância é pouco produtivo.

4 – Escolha um líder;

O líder é quem garante o sucesso do negócio. Ter uma pessoa responsável por acompanhar métricas, gerar relatórios e garantir o alinhamento das análises com o objetivo do negócio, pode ser fundamental.

Esse profissional terá uma visão sistêmica dos indicadores da empresa, acompanhando os resultados a serem alcançados em todas as áreas.

Como escolher a ferramenta ideal?

A primeira coisa que você precisa ter em mente é que a cultura de dados é um mindset. Uma mudança na maneira de gerir e tomar decisões baseada em dados gerados na operação, e não em “feeling”.

Hoje o mercado oferece sistemas gerenciadores de processos empresariais robustos, que oferecem dados organizados em relatórios, e que permitem a integração e divulgação desses dados para toda empresa.

Nesse sentido, dada a importância da cultura de dados para a competitividade das empresas, esse é um investimento que traz retorno certo e deve ser feito, assim que possível.

Ao escolher seu sistema, prefira plataformas customizáveis, como o Moki, que oferece a possibilidade de acompanhar os diversos pontos da operação como se você estivesse lá, inclusive com evidências fotográficas.

Além de oferecer relatórios customizáveis e permitir o cruzamento de dados e o acompanhamento de indicadores, com o Moki você pode definir ações instantâneas, indicando responsáveis e prazos de implementação dos ajustes e mudanças na operação.

Você também pode criar checklists para coletar dados específicos, que podem ser cruzados com outros indicadores, gerando uma valiosa fonte de informação para gestão, o que garante uma melhoria contínua dos processos.

Ilustração de um computador com uma tela cheia de gráficos e uma lupa em sua frente.

Otimize sua operação com decisões pautadas em dados, do operacional ao estratégico. Conheça o moki!

Conclusão
Como pudemos ver, a cultura de dados é um modelo de gestão organizacional em que todas as decisões e ações são definidas e planejadas a partir da análise de dados e do cruzamento de informações.

Essa nova abordagem de gestão da era digital proporciona ao gestor um volume de dados relevantes, que traz mais qualidade para o processo decisório e produtividade para a operação, reduzindo custos e auxiliando a prevenção de perdas em potencial.

Ao adotar a cultura de dados, a empresa garante sua vantagem competitiva, sua produtividade e assegura a otimização dos seus resultados.

Assim, os investimentos em capital humano e em tecnologia para dar suporte a cultura de dados são sempre estratégicos.

Por isso, não perca tempo! Escolha um software de gestão completo e customizável como o Moki, e veja a cultura de sua empresa mudar para uma postura integrada, ágil e orientada a resultados. Os benefícios são transformadores!

Gostou do post? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
0 0 votes
Article Rating
Inscreva-se
Notificar quando houver
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Pesquisar

Receba nossos conteúdos!

Receba nossos conteúdos!

Posts mais populares
Ninja faixa preta dando um chute no ar

Será que você tem uma operação faixa preta?

Faça um diagnóstico de maturidade gratuito e receba dicas para se tornar um ninja em seu negócio!

Siga nossas redes
Saiba mais
Rolar para cima